Image hosting by Photobucket

10 junho, 2006

Entrando com bola e tudo
Por Cezário Camelo, "Cecezinho"

Enquanto o Brasil não estréia na Copa, Cecezinho vai passando o rodo nas passistas.

A vitória da Alemanha sobre a Costa Rica por 4 a 2 foi o jogo que teve mais gols na história dos jogos de abertura de Copas. Apesar da festa na partida inaugural do Mundial, a seleção do técnico Jürgen Klinsmann demonstrou erros defensivos babacas, evidenciados nos dois gols marcados pelo costarriquenho Paulo Wanchope. O jogo, em si, foi uma grande merda. Se essas duas seleções estivessem disputando o Campeonato de Masters do Peladão, não passariam da 1ª fase.

Não entendo o problema do Ronaldinho Fenômeno. Bastou o Pedro Bial ser fotografado do lado da Raica pro nosso gorducho centro-avante ser acometido de diarréia, dores de cabeça lancinantes (eclosão de chifres?) e calos nos pés. Sei não, mas com a fortuna que tem o gorducho eu estaria, no máximo, com calos na jeba.

Pelé continua bastante assediado pelos fãs. Por esta razão, sempre que vai ao estádio ele se disfarça de Cantinflas. Ninguém ainda o reconheceu, mas o assédio continua. “O pessoal está pensando que eu sou mesmo o Cantinflas”, explicou o negão presepeiro.

Enquanto isto, no Brasil, Xuxa declara que é meio masoquista: “Estou com muita saudade do Dico, pois eu gosto mesmo é de ver a coisa preta”.

Donos dos passes dos jogadores da seleção, os clubes estrangeiros colocaram eles em um seguro de vida tão alto que quase que o negócio vai pro vinagre. “Os caras sem ganhar nada já tão bebendo que só a moléstia dos cachorros, se ganharem a Copa não vai ficar um vivo”, comentou Heather Himelwright, presidente da seguradora Integrated Benefit Consultant, responsável pela negociata.

A Associação dos Cronistas Esportivos do Brasil enviou telegrama de protesto ao Comitê Organizador do Mundial pedindo que se proíba a participação da Croácia na próxima Copa do Mundo, caso eles não inscrevem atleta com nome de gente feito Fridundino Eulâmpio, Telesforo Veras ou Austregésilo de Atahyde. “Tem um tal de Darijo Srna que não tem febre de rato ou dirijo manga-rosa que faça alguém pronunciar o sobrenome dele direito”, queixou-se um locutor da rádio Novo Nordeste AM, de Arapiraca (AL).

Essa semana, comi duas torcedoras argentinas, uma polonesa e uma italiana, somente por terem me confundido com o palhaço do Galvão Bueno. Quando começarem a me confundir com o Brad Pitt, eu vou enrabar metade da Alemanha. Quem for podre que se quebre!