Image hosting by Photobucket

19 outubro, 2004

Política e verdade
Por Cezário Camelo, "Cecezinho"

Pelo que vejo nos jornais locais, quando trajando meu uniformezinho de internauta (alguém que não tenha titica de galinha na cabeça ainda gasta dôsrréa com aquelas porcarias? Não creio!), está havendo uma certa revoada de acusações nas altas esferas políticas de Manaus. Como aliás está sempre havendo uma revoada de acusações no mundo da política quando o assunto é verdade ou mentira. Até há pouco, nos Estados Unidos, só se falava na incapacidade de o presidente George W. Bush distinguir uma coisa da outra, ou seja, distinguir entre verdade e mentira. Quer dizer, verdade e mentira, em essência, são a matéria prima da política. As coisas públicas ou são ou não são. Elas não podem dar a aparência de outra coisa que não a verdade. Mas nós podemos sempre confiar nos americanos. Não confiar no sentido de que eles são sensacionais e não só servem de esplêndido modelo para nós, povo mulato e inzoneiro, como também nos tratam de igual para igual com fidalguia e fairplay. Não, não. Eu digo confiar no sentido de que eles sempre aparecem com uma besteira que faz o resto do mundo rir e se divertir um pouco, que é bem melhor do que ser bombardeado ou invadido por marine. Lembro que nas eleições de novembro de 2000, em Massachusetts, o candidato rival ao sete vezes senador democrata Edward Kennedy - conhecido por não ser um apaixonado da verdade -, um cidadão por nome Jack E. Robinson III, na disputa pela cadeira no Senado, decidiu promover sua campanha na base da verdade. Criou um site na Internet e deu o pontapé inicial na contenda política. Robinson III cismou de só dizer a verdade. E tacou lá: foi preso por dirigir embriagado. Foi preso por excesso de velocidade. A polícia o encontrou de posse de perigoso implemento nas artes marciais. Foi acusado de plagiarismo. Foi processado diversas vezes pelos motivos os mais variados. Foi até acusado duas vezes de assédio sexual embora o caso não tenha ido aos tribunais. O povo americano ficou muito impressionado com a honestidade de Jack E. Robinson III, que é um dos políticos mais conhecidos nos Estados Unidos. Só teve um detalhe: uma semana depois de o site estar no ar, ele deixou de ser o candidato do partido Republicano à cadeira no Senado americano. Foi rifado pelos cardeais do partido. Fica aí, pois, a lição. Verdade, sim. Mas devagar, que também ninguém é de ferro. E isso vale tanto pro Sarafa quanto pro Negão.