Image hosting by Photobucket

30 outubro, 2004

Ecos do Passado
Por Herculano

O GLOBO – 27/05/1997
“- Testa-de-ferro denuncia negociata de Amazonino com empreiteira. O empresário Fernando Bonfim denunciou o governador do Amazonas, Amazonino Mendes, como verdadeiro dono da empreiteira Econcel, que tem feito obras para a prefeitura de Manaus e o governo do estado. Bonfim gravou a conversa com o filho de Amazonino, Armando, e mais dois sócios da empreiteira. Ele foi afastado da direção da empresa e revelou que funcionava como testa- de-ferro do governador. Seu antecessor é cunhado do empreiteiro Otávio Raman Neves, dono da casa em que Amazonino mora. A denúncia envolve também o secretário de Fazenda, Samuel Hannan. Amazonino recentemente foi envolvido na denúncia de compras de votos para aprovar a emenda da reeleição na Câmara. (pág. 1 e 3)”

ZERO HORA – 30/05/1997
“- O governador Amazonino Mendes (PFL), entrou em desespero. "Sou um homem morto", declarou na noite de quarta-feira a um grupo de 20 empresários e políticos que mandou convocar às pressas para fazer uma revelação. Na varanda de sua mansão, contou que uma nova fita enviada ao presidente Fernando Henrique Cardoso e a Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA), presidente do Senado, traz um diálogo comprometedor gravado em seu quarto entre ele e o empresário Fernando Bonfim. Na conversa, Amazonino e Bonfim acertam a comissão que seria cobrada na compra de geradores de energia de uma empresa norte-americana, em 1996. Ontem à noite Bonfim negou pelo telefone a um repórter do "Correio Braziliense" que tenha enviado a fita a autoridades, mas confirmou a existência de outras em seu poder. (pág. 12)”

CORREIO BRAZILIENSE – 30/05/1997
“- Além das construtoras Econcel, Exata e Capa, uma outra empreiteira - a Decisão - também estaria ligada ao governador do Amazonas. Em 1996, a Decisão faturou R$ 17 milhões da prefeitura de Manaus. Na capital, só mesmo recorrendo à Internet é possível ler o "Correio Braziliense" e os demais jornais com denúncias contra Amazonino. Os exemplares não chegam às bancas. Os "apagões" também fazem parte da censura: falta luz na cidade na hora do Jornal Nacional da TV Globo. (pág. 1 e 11)”

ZEROHORA – 31/05/1997
“- Na reunião que fez com os empresários mais importantes do Amazonas, na noite da última quarta-feira, o governador Amazonino Mendes revelou uma nova história que o compromete ainda mais. Desesperado, enxugando lágrimas que corriam pelo rosto, Amazonino Mendes contou que, na conversa de alcova que teve com o ex- amigo e empresário Fernando Bonfim, admitiu que tinha mandado pedir 20% de comissão da empresa Intec, de engenharia elétrica. "Fui eu que mandei pedir", disse a Bonfim, dentro do seu quarto, segundo relato que fez aos empresários. "Caí numa cilada", continuou o governador. Amazonino está convencido de que a conversa foi gravada. E continuou: "A fita não chegou à imprensa, mas está nas mãos do presidente Fernando Henrique Cardoso e do senador Antônio Carlos Magalhães, presidente do Senado". (pág. 8)”

JORNAL DO BRASIL – 02/06/1997
“- Procuradores do Ministério Público Federal (MPF) querem convencer o procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, a pedir ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) a quebra do sigilo bancário do governador do Acre, Orleir Cameli (sem partido), suspeito de envolvimento, juntamente com o governador do Amazonas, Amazonino Mendes (PFL), no escândalo da compra de votos a favor da emenda da reeleição do presidente Fernando Henrique Cardoso. (pág. 2)”

O ESTADO DE SÃO PAULO – 05/06/1997
“- (Manaus) - A Procuradoria da República no Amazonas vai convocar o governador Amazonino Mendes (PFL) para que apresente defesa em quatro representações contra seu governo. Segundo o procurador- chefe no estado, Sérgio Lauria, Amazonino terá de provar que não é proprietário da empreiteira Econcel, não comprou votos dos ex-deputados acreanos para aprovação da emenda da reeleição na Câmara, não favoreceu a empreiteira Marmud Cameli em obras de seu governo nem houve superfaturamento na compra de geradores para a Companhia Energética do Amazonas (Ceam). A data da convocação ainda não está definida. (...) (pág. A8)”
 
FECHO DE OIRO
 
A mansão hollywoodiana de Amazonino


 

BRASÍLIA_ A última do governador Amazonino Mendes, do Amazonas: sua mansão com ares de hollywood, com quatro piscinas e muito luxo, construída em frente ao igarapé Tarumã, em Manaus, em meio à floresta, ganhou destaque na primeira página do Jornal do Brasil da sexta-feira (25-08), em matéria assinada pelo competente repórter Abnor Gondim.
Amazonino Mendes, que governa o Amazonas pela terceira vez, está sendo investigado pelo Ministério Público Federal por indícios de enriquecimento ilícito. Os procuradores da República já retomaram as investigações sobre um susposto depósito de US$ 500 mil em uma conta aberta em Luxemburgo, um dos principais paraísos fiscais da Europa. O dinheiro teria sido depositado na conta de Amazonino pelo empresário Juarez Barreto Filho a título de comissão por compras superfaturadas.
Durante muito tempo, Juarez Barreto Filho teria fornecido geradores de energia elétrica para as Centrais Elétricas do Amazonas (CEAM) a preços superfaturados. O governador também esteve envolvido em denúncias de que teria montado duas empreiteiras, colocando na direção amigos mais chegados _ uma delas a Econcel, empresa que ganhou a maioria das concorrências abertas pelo governo amazonense para a execução de obras no Estado.
Acredite se quiser: o governador alega que construiu sua mansão cinematográfica com R$ 300 mil obtidos por empréstimo junto à Caixa Econômica Federal e com a venda de outros imóveis. É isso que o Ministério Público já começou a investigar.”